• Nesta altura do ano é inevitável sentir o "Stress dos Presentes". Se, por um lado, ainda falta quase um mês para o Natal, por outro lado, não queremos deixar as compras para a última da hora. E se, por um lado, vamos cortar na lista e só oferecer uma lembrança às pessoas mais próximas, por outro lado, essas são sempre as mesmas pessoas a quem oferecemos presentes e, com os anos, as ideias começam a esgotar-se. Ora, para evitar este stress aos meus leitores, tenho uma excelente sugestão de presente:

    O meu novo livro «O Estranho Ano De Vanessa M.» autografado e com dedicatória.



    Mas há mais (porque eu ADORO o Natal e já estou a ser contagiada): os portes são GRÁTIS para qualquer ponto do país e ainda há um desconto de quantidade.

    1 livro €10 2 livros €18,5 3 livros €27




    Portes grátis para todo o país

    Para fazer a sua encomenda, basta enviar um email com a morada, número de exemplares pretendidos e nome da(s) pessoa(s) a quem dedicar o livro para filipafonsecasilva@gmail.com . De forma a garantir a entrega a tempo, só aceito encomendas até 15 de Dezembro.

    ATENÇÃO: Esta promoção NÃO é válida para o livro «Os 30 - nada é como sonhámos»

    Bom Natal e Boas Leituras!
  • Embora a gravidez seja uma das alturas mais bonitas na vida de uma mulher, confesso que não sou fã da coisa. Sim, há todas aquelas experiências maravilhosas como o facto incrível de estar a gerar uma vida, sentir o bebé a mexer, ouvir o seu coração quando vamos às consultas de obstetrícia ou passar à frente na fila do supermercado, mas sinceramente, tudo o resto é um rol de interdições, indisposições e preocupações. Ora é verificar se a salada está bem lavada, ora é acordar duas vezes por noite porque a bexiga não aguenta, ora é ter de dizer não àquele segundo copo de vinho. Tudo isto ao mesmo tempo que se lida com uma profunda desregulação hormonal que nos transforma em seis mulheres diferentes durante as mesmas 24 horas: de chorona a irascível, de impaciente a ansiosa, de meiga a intolerante. (Nota para os maridos que gostavam de ser poligâmicos: esta é a altura da vida em que vão ficar a saber porque é que a poligamia NÃO resulta. Uma mulher é suficiente para vos dar cabo da cabeça.)

    Se tudo isto já é complicado quando podemos chegar a casa e descansar no sofá (sim, porque uma grávida sente-se inevitavelmente mais cansada e não é por acaso que existem filas e lugares especiais para elas), o verdadeiro desafio começa quando já se tem um filho. O irmão mais velho do belíssimo ser que estamos cuidadosamente a gerar não se compadece com o nosso estado de graça. Aliás, na maior parte das vezes, parece uma daquelas pessoas que refilam se uma grávida lhes passa à frente. Não percebe porque é que não podemos dar colo, porque é que não rebolamos no chão, porque é que já não partilhamos a mesma colher. Além do mais, se tiver menos de quatro ou cinco anos, ainda é, ele próprio, um bebé: tem de ser vigiado, alimentado, vestido (com roupas que realmente combinem e sejam adequadas ao estado do tempo) e repreendido.


    E é então que uma mãe passa a viver os meses de gravidez entre o "Estou tão feliz, era mesmo isto que eu queria!" e o "O que é que me passou pela cabeça para engravidar outra vez?". É um sentimento perfeitamente natural. Porque estamos mais cansadas, mais preocupadas e, sobretudo, mais conscientes do que é ter um recém-nascido. Torna-se inevitável ficarmos assustadas com a gestão do tempo e da família quando o novo elemento chegar. Ainda estão muito frescas na memória as noites mal dormidas e a rapidez com que o tempo passa quando se está em casa com um ser que aparentemente não dá trabalho nenhum. Quando nasceu o meu primeiro filho, tive uma crise de exaustão ao fim de dez dias - dores no corpo, arrepios, falta de apetite - o que me faz entrar constantemente em pânico com a ideia de passar por tudo outra vez, e agora com uma criança de dois anos e pouco a querer constantemente a minha atenção. Mas depois, olho para o seu álbum de bebé, sinto outro pontapé nas entranhas e sorrio de plena felicidade. Que sorte poder passar por esta experiência outra vez! É um estado um bocado esquizofrénico. Ou se calhar é das hormonas...


  • Há umas semanas, a propósito das infames declarações do presidente da FIFA, escrevi uma carta ao Cristiano Ronaldo. Agora, que estamos a 90 minutos de garantir o apuramento para o Mundial, volto a publicá-la. Porque seria uma enorme injustiça, depois do que tem lutado e dado à Selecção e ao nosso país, este homem não jogar no Brasil. Força Ronaldo e força Portugal.


    Querido Ronaldo,

    (Desculpa a familiaridade no tratamento, mas gosto tanto de ti que não consigo dirigir-me à tua pessoa com um mero caro, muito menos um excelentíssimo, embora me mereças o maior respeito e consideração.)
    Como qualquer figura pública sabes bem que a fama traz amores e ódios. A fama, a riqueza, o sucesso e o talento. E quando alguém tem estas quatro coisas juntas, como é o teu caso, é difícil não ser alvo constante desses ódios e invejas. Só que, no teu caso, acredito que por cada ódio, venha ele das mais altas instâncias do futebol ou do mais baixo café de rua, há o dobro em amor. Sim, sei que, como eu, há milhões de pessoas que te adoram, que te admiram e que sabem que és um homem e um atleta fora de série. E sei que, felizmente, sabes disso.
    Para mim é um orgulho ver-te jogar, seja com que camisola for (com muita pena que não seja a do Benfica, mas enfim...). É um orgulho não só por seres português, mas sobretudo pelo difícil caminho que trilhaste até atingires os teus objectivos. Os odiosos e os invejosos gostam de falar do teu corte de cabelo, dos teus carros, das tuas namoradas, mas não falam dos anos que passaste longe da tua família, sozinho, nem dos dias em que ficaste a treinar depois dos outros se irem embora para te superares e tornares no atleta magnífico que és. Gostam de falar das tuas férias e das festas onde vais, mas não falam dos hospitais que visitas, dos miúdos que acarinhas e dos autógrafos que dás, mesmo quando a agenda é apertada e estás desejoso de ir para casa ter com o teu filho. Gostam de falar da roupa das tuas irmãs ou do novo corte de cabelo da tua mãe, mas não falam do amor e da segurança que elas te dão e que foi, decerto, fundamental para que nunca tenhas desistido dos teus sonhos e nunca te tenhas perdido como tantos outros atletas que ficam cegos pela fama e pelo dinheiro.
    E por falar em dinheiro, é teu de direito, conquistado literalmente com o teu suor, com o teu talento sobrenatural e ainda bem que podes proporcionar uma vida fantástica a todos de quem gostas. Ao contrário de tantos outros atletas, o dinheiro não te corrompeu, não te tirou a alegria de jogar à bola nem a constante batalha que travas contigo próprio para seres cada vez melhor. Uma batalha que tenho tido o privilégio de assistir ao longo dos últimos dez anos.
    Não sou do tempo do Pelé nem vi o "meu" Eusébio jogar. Era uma menina que brincava com as Barbies quando o Maradona e outros grandes talentos dos anos 80 davam cartas. Só comecei a ligar ao futebol quando vi uma reportagem sobre o Van Basten no início dos anos 90 e só fiquei verdadeiramente apaixonada quando fui ao Estádio da Luz pela primeira vez. Vi todos os grandes jogadores portugueses (e estrangeiros!) jogarem inúmeras vezes, ao vivo e a cores, desde então. Do meu maestro Rui Costa, ao aclamado Figo, entre tantos outros. Mas nunca vi nenhum jogador que se compare a ti. Tu tens aquela coisa que só os grandes têm. Aquela coisa que nos cola ao relvado, que nos faz gritar e nos enche o coração. Aquela coisa que te vai tornar lendário e imortal.
    Para mim, digam o que disserem, és o melhor do mundo. O melhor de sempre! Ah, e se vestisses a camisola do Benfica...

    Beijinhos,

    Filipa

  • E por falar em mulheres portuguesas que levam o nome de Portugal pelo mundo, há uma que tem sido exímia a fazê-lo. Trata-se da artista Joana Vasconcelos. Desta vez foi uma das 15 mulheres convidadas para criar uma peça para a exposição que celebra o perfume Miss Dior.


    Cada artista tinha de criar uma peça tendo por base o frasco deste perfume, peças essas que estão em exposição desde ontem no Grand Palais em Paris. O resultado está nas imagens abaixo e para mim, como fã quer da Joana, quer da Dior, não podia ser mais fascinante. Parabéns Joana.



    As 15 artistas convidadas


    Frascos e leds



    Pormenor da peça



    A artista e os técnicos


    A estrutura


    O resultado final


    Miss Dior Exhibition
    13 a 25 de Novembro 2013
    Grand Palais - Paris
    Entrada grátis (para quem tiver a sorte de passar pela capital francesa)


    Partilhar no Facebook

  • Agora que, graças à notícia da minha entrada no Top 100 da Amazon, ganhei uma data de novos subscritores, que de outra forma dificilmente teriam chegado a este blog, acho que devo fazer um pequeno resumo do que vão encontrar por aqui.
    Para todos os que já eram seguidores do blog, podem ver neste post uma maneira de relembrar o que tem sido escrito Espero que seja útil.




    O que esperar:

    1) uma boa dose de esquizofrenia: tanto falo de moda, como de futebol, de arte ou do estado da Nação. Não sou especialista em qualquer destas áreas, mas quando um assunto me desperta interesse, gosto de partilhá-lo e dar a minha opinião.

    2) um blog pessoal: sou totalmente responsável pelo que escrevo, mas devem ter em conta que são as minhas opiniões pessoais (nem sempre politicamente correctas), que partilho ao abrigo do direito constitucional à liberdade de expressão.

    3) um blog de uma mãe: é inevitável partilhar uma das partes mais importantes da minha vida, algo que faço na rubrica "Coisas que uma mãe descobre (e de que ninguémfala)". Se não têm paciência para esta temática, não leiam os posts com este título. Embora sejam muito divertidos, mesmo para quem nunca viveu essa experiência (digo eu, mas sou suspeita).

    4) um blog onde a ficção se cruza com a realidade, mesmo nos textos mais literários.


    5) notícias sobre novas publicações: sim, quando tiver novos livros ou eventos que considere interessantes para os meus leitores, vou divulgá-los aqui.

    6) vários posts sobre as minhas preocupações humanitárias e ambientais, porque acredito que toda a gente faz a diferença e se, com algum dos meus textos, conseguir convencer nem que seja uma pessoa a abraçar uma certa causa, já fico muito feliz.


    O que não esperar:

    1) posts e actualizações diárias. Não vão encontrar fotografias do meu pequeno-almoço, nem relatos sobre as horas que passei no trânsito. Para isso utilizo as redes sociais. Aqui escrevo, em média, uma vez por semana, até porque sou apologista da grande máxima que é "se não tens o que dizer, fica calada". E também odeio estar sempre a receber newsletters.

    2) Passatempos e promoções por tudo e por nada. Isto não é o Groupon. Claro que não digo que, uma vez ou outra, não venha a fazer um passatempo, desde que o prémio seja algo de que eu realmente goste.

    3) Publicidade gratuita. Todas as marcas, designers, artistas e produtos de que falo no meu blog são coisas que eu admiro/consumo/gostava de ter. Adoro estar a par das novidades e se alguém quiser apresentar-me um novo produto, terei todo o gosto em ficar a conhecer, mas só darei destaque neste blog se acreditar nele. Já me basta a minha profissão de publicitária onde tenho de falar de coisas com as quais nem sempre me identifico.

    4) Um blog que agrada a gregos e troianos. Sei que vou escrever coisas que algumas pessoas vão adorar e outras vão odiar. É inevitável. Mas desde que escreva coisas que despertem a curiosidade e que façam os leitores dar o seu tempo por bem gasto (mesmo que não concordem com a minha opinião), sinto que o meu dever fica cumprido.


    Obrigada!

  • A versão inglesa do meu primeiro livro, “Os Trinta - Nada é como sonhámos”, que em inglês tem o título “Thirty Something – Nothing’s how we dreamed it would be”, entrou hoje no TOP 100 da categoria Woman's Fiction, ao lado autores como James Patterson, Danielle Steel e E.L.James. Simultaneamente atingiu a posição 630 da Amazon no rank geral de vendas, ou seja, incluindo todas as categorias de livros existentes naquela que é a maior loja online do mundo.

    Isto pode não parecer muito, mas se pensarmos que os melhores livros de autores rentáveis como Saramago ou José Rodrigues dos Santos estão em posições como 207 mil ou 334 mil respectivamente, a coisa ganha toda uma outra dimensão.

    Estou tão feliz com esta conquista, que se deveu a mais de um ano de trabalho árduo na promoção do livro no mercado internacional, que quero oferecer o meu novo livro "O Estranho Ano de Vanessa M." a todos os portugueses. Sim, TODOS os portugueses. Para tal, basta subscreverem este blog até dia 15 de Novembro. Quem o fizer receberá um email com um voucher para fazer o download da versão ebook do mesmo totalmente grátis.

    Porque é que vou oferecer o livro aos portugueses, quando a maior parte dos meus leitores são estrangeiros? Exactamente porque quero dar a conhecer o meu trabalho no meu próprio país, na minha própria língua, aquela em que escrevo, em que sonho e que será sempre a minha paixão.

    Espero que aproveitem esta pequena oferta e, quem já tem ou já leu o livro, pode sempre avisar os amigos.




    Versão inglesa de "Os 30 - nada é como sonhámos" no Top 100 da Amazon






    O livro que vou oferecer a todos os portugueses :)
  • Pois bem, chegou o dia do grande lançamento: o portal pelo qual todas as mães esperavam, onde várias mães bloggers e alguns pais com as mais variadas formações partilham as suas experiências e conhecimentos sobre tudo o que tenha a ver com a maravilhosa experiência que é gerar e criar uma criança. Da gravidez à pedagogia, da nutrição à psicologia, da fotografia à gestão do tempo e das tarefas domésticas, aqui há um pouco do tudo.

    Eu vou falar das coisas que aprendi depois de ser mãe e que ninguém nos conta, e vou seguir atentamente os "ensinamentos" das outras mães queridas, como por exemplo da Vera Ferraz que tem o blog "Hoje para o jantar...", onde partilha duas das suas grandes paixões: a fotografia e a culinária. Ainda não experimentei nenhuma das suas receitas, porque como vos digo, o portal está a ser lançado hoje, mas pelas fotografias fantásticas, já apontei várias receitas que vou fazer lá em casa. Vejam já se não são apetitosas?


    http://maequerida.limetree.pt/author/veraferraz/

    Gelatina com dinossauros!

    Bolo de abóbora, coco e noz

    pernas de frango com laranja e vinagre balsâmico